Nos últimos anos, dentro das estratégias de atração e retenção de talento das empresas, o conceito de diversidade ganhou peso, entendendo-se por equipas diversificadas aquelas que são formadas por pessoas com uma variedade de perfis sociodemográficos, percursos e estilos de vida. Contudo, dados apontam que este conceito deveria ser alterado.    

O que significa a diversidade para as novas gerações de colaboradores? O estudo Millennial Survey 2018 da Deloitte refere que apenas 17% dos participantes Millennials ou da Generação Z considerava aspetos demográficos, de estilo de vida ou religiosos ao falar de diversidade. No entanto, mencionaram conceitos como a tolerância e inclusão, respeito e abertura de mentalidades

Ambientes inclusivos para equipas diversificadas

A maioria dos líderes está consciente da importância de ter equipas diversificadas, que proporcionam inovação e criatividade através de perspetivas distintas, de forma a obter os melhores resultados. Alguns dos aspetos tradicionalmente relacionados com a diversidade já se encontram regulados legalmente ou a nível corporativo para evitar discriminação, por exemplo por razões de género ou idade.  

Será isto suficiente? Apesar dos avanços na diversidade, existe uma menor consciência relativamente à importância de um local de trabalho com um ambiente inclusivo, onde todos os colaboradores podem ser quem são verdadeiramente e se valoriza o seu talento e formas de pensar únicas. Esta capacidade será importante para reter o talento em gerações cada vez mais recetivas a mudanças.

Como criamos um ambiente de trabalho inclusivo?

Para criar um local de trabalho baseado na inclusão, é necessário que os  líderes da empresa façam primeiramente um esforço para compreender os seus colaboradores e as suas prioridades, tanto a nível coletivo como individual. Para isso podem recorrer a ferramentas como pesquisas segmentadas sobre o ambiente laboral que refletem as opiniões de grupos minoritários, focus group liderados por pessoas externas ou sessões one to one com colaboradores que permitam identificar necessidades ou expectativas.  

O segundo passo de uma estratégia de inclusão deve passar pela formação, tanto dos líderes da empresa como dos restantes colaboradores. Neste sentido, é importante que todos sejam formados para reconhecer todas as preocupações que têm como seres humanos, como estas os afetam nas suas relações profissionais e, a partir daí, trabalhar para as superar.

Por último, é muito importante conseguir um equilíbrio para que as pessoas que pertencem às minorias não sintam que a sua privacidade é invadida ao começarem este tipo de iniciativas. De que forma se estabelecem os limites? Cada colaborador deve decidir que aspetos da sua vida pretende partilhar e quais prefere manter em privado. O ideal é criar um clima de abertura para que cada um, de acordo com as suas crenças e personalidade, se sinta confortável para partilhar as suas opiniões.

Na Michael Page temos consciência da importância de uma equipa diversa para abordar diferentes perspetivas na nossa empresa, fomentando aspetos muito relevantes como a criatividade, a resolução de problemas e a sustentabilidade. “A diversidade, a igualdade e a inclusão são uma prioridade estratégica para o PageGroup e nos últimos anos demos uma especial importância às mesmas para que exista uma real vontade de criar as mesmas oportunidades para todosNeste sentido, através de nosso programa de diversidade e inclusão reconhecemos e apreciamos o valor único de cada membro da empresa e proporcionamos a criação de um ambiente inclusivo, implementado medidas orientadas para que todos os colaboradores se sintam confortáveis com eles mesmos no seu ambiente profissional, independentemente do seu género, idade, identidade, situação familiar,  origem ou cultura. Desenvolvemos o talento independentemente destas questões. ”, afirma Ana Rodríguez, Diretora de Recursos Humanos do PageGroup.

Enquanto a grande maioria das empresas se esforça para oferecer benefícios e condições atrativas para atrair e reter talento, algumas esquecem-se de uma parte fundamental para reter os seus colaboradores, que é fazer com que estes se sintam confortáveis e valorizados no seu ambiente de trabalho.  


Fonte: www.michaelpage.pt
Inclusão e Diversidade nas Equipas

Partilhe nas Redes Sociais