Para Seth Godin, a crise que atravessamos surge com uma diferença relativamente a outras. A grande diferença agora, diz o guru do Marketing com 19 livros publicados, é que, embora a maioria dos empresários tenha enfrentado adversidades de uma forma ou de outra, atualmente “todos estão a ser pressionados da mesma maneira.” Na verdade, “estamos a sentir o mesmo ao mesmo tempo.”

O autor convidado por Scott Omelianuk, editor-chefe da revista Inc. disse no final da semana passada durante um webinar promovido pela revista e no âmbito da série “Real Talk: Business Reboot” da Inc. que os empreendedores devem “ficar do lado da mudança”, especialmente quando enfrentam concorrentes maiores. É que, enfatiza com humor: “2021 não quer saber o que espera dele, 2021 virá quer queira quer não.”

Para ter sucesso num mundo veloz e imprevisível, não pode estar muito apegado às formas antigas de fazer as coisas – seja uma tática de marketing ou um modelo de negócio – ou à sua visão atual do futuro, diz Godin. “Amanhã haverá uma onda diferente, e isso é bom.”

Como viver e sair bem da recessão? Ao enfrentar escolhas difíceis, aconselha, tenha como objetivo ser resiliente e flexível o suficiente para suportar a crise e, em seguida, faça o melhor que puder e aceite os resultados. Por exemplo, uma cadeia de restaurantes pode precisar fechar alguns locais para garantir a sobrevivência do negócio. Se estiver numa posição semelhante, sem conseguir salvar todas as partes do seu negócio, segundo Godin é importante conseguir perdoar-se.

Outra ideia sublinhada pelo especialista em Marketing para atravessar esta crise da melhor maneira é a necessidade de parar de dar apenas prioridade à rentabilidade a curto prazo e passar também a olhar para o longo prazo. Neste ponto, Godin faz o paralelismo com a explosão da bolha das empresas da internet no ano 2000. E dá o exemplo da Google e da Yahoo. “Quando a bolha dot-com estourou, a Google foi a empresa que conseguiu sobreviver porque localizou o seu nicho. A Yahoo e outras fizeram uns pequenos ajustes de curto prazo, lutaram e falharam.”

O autor de “This Is Marketing: You Can’t Be Seen Until You Learn to See” defende que deve encontrar e conhecer o seu público-alvo. Certifique-se que está a fornecer-lhe exatamente o produto ou serviço certo, no momento certo, para as pessoas certas (que idealmente falarão sobre a sua oferta aos amigos).

“Só precisa de ser relevante para algumas pessoas”, diz Godin. Encontre o seu “público minimamente viável” ou “um grupo pequeno” que esteja interessado nos seus produtos ou serviços. Em caso de dúvida, volte ao motivo fundamental que esteve na base da criação do seu negócio.

Embora a crise do coronavírus possa significar que há menos clientes e que podem não estar dispostos a gastar tanto dinheiro, ainda há oportunidades, acredita. Independentemente dos custos irrecuperáveis que entram, Godin diz: “Se o seu negócio é fazer algo que as pessoas não precisam nem querem, então pense em fazer outra coisa qualquer.” Deve sim gastar mais tempo a pensar a quem se está a dirigir exatamente, o que pode fazer pelo seu público que, caso deixasse de fazer, sentiria falta.”

Numa época em que muitas empresas precisam reagir rapidamente, Godin argumenta que as pequenas empresas têm uma vantagem, porque estão mais próximas das pessoas a quem servem e podem agir mais rapidamente em resposta às suas necessidades e desejos. Os slogans não ganharão a confiança das pessoas, diz ele.

Seth Godin é ainda um empreendedor em série e fundador da Akimbo, uma plataforma para workshops online.


Fonte: www.lidermagazine.sapo.pt
“Só precisa de ser relevante para algumas pessoas”, diz Seth Godin


Partilhe nas Redes Sociais